UNIÃO E UNIFICAÇÃO DO MOVIMENTO ESPÍRITA GONÇALENSE: O NASCIMENTO DO 37º CEU/CEERJ

UNIÃO E UNIFICAÇÃO DO MOVIMENTO ESPÍRITA GONÇALENSE: O NASCIMENTO DO 37º CEU/CEERJ

“Reunir, unir para unificar e não uniformizar, sempre coerentes com as diretrizes doutrinárias do Espiritismo” - 37º CEU/CEERJ

O "espírito de unificação e união" pairava sobre o movimento espírita fluminense no limiar do ano 2000. O então presidente da Federação Espírita do Estado do Rio de Janeiro (FEERJ), Hélio Ribeiro Loureiro e o saudoso presidente da União das Sociedades Espíritas do Rio de Janeiro, Gerson Simões Monteiro, iniciaram entendimentos fraternos para uma aproximação que se consolidou com a unificação das duas entidades federativas do Rio de Janeiro no ano de 2006, surgindo o Conselho Espírita do Estado do Rio de Janeiro (CEERJ) como a única representante do Rio de Janeiro junto ao Conselho Federativo Nacional (CFN), órgão da Federação Espírita Brasileira que representa o Movimento Espírita Brasileiro, exercendo funções deliberativas, normativas, orientadoras, coordenadoras e supervisoras. 

O município de São Gonçalo teve um papel importantíssimo dentro desse contexto histórico da unificação espírita fluminense. 

Era o ano de 2002, e naturalmente, o Movimento Espírita Gonçalense era coordenado por duas representações: o CFM (Conselho Federativo Municipal da FEERJ) e o CRE (Conselho Regional Espírita da USEERJ). O CFM era coordenado pelo saudoso confrade Antonio Bispo Sales, João Luiz Pessoa, Celso Coelho Brégua, Getúlio Torres entre outros irmãos e o CRE pela confreira Maria do Valle Anastácio, Jorge Cardoso entre outros. Após um período de aproximação fraternal que se iniciou em 2001, justamente com o andamento das obras de construção do que viria a ser o Espaço Espírita Fraternidade (EEFRA*), é concretizada a Unificação do Movimento Espírita de São Gonçalo no ano seguinte. A reunião memorável entre os representantes do CFM e do CRE, no prédio ainda em obras do EEFRA, ocorreu no dia 02 de maio de 2002** num clima de muita alegria cristã e fraternidade entre todos os presentes. E assim surgia sob as bênçãos espirituais o que viria a ser mais tarde chamado de 37º Conselho Espírita de Unificação de São Gonçalo (37° CEU/CEERJ).

É digno de nota informar que São Gonçalo foi o primeiro município do Estado do Rio de Janeiro a se unificar com 4 anos de antecedência ao surgimento do CEERJ.

*Obs: O EEFRA foi doado ao movimento espírita de São Gonçalo pelo casal de irmãos Celso Coelho Brégua e Vilma Coelho Brégua Pereira dos Santos (in memoriam) e desde então é a sede do 37º CEU/CEERJ.

**Informação sobre a foto que estampa a matéria: Na foto inserida nessa matéria vê-se o abraço fraternal do Sr. Antonio Bispo e Srª Maria do Valle Anastácio, respectivamente CFM e CRE, selando definitivamente a unificação do movimento espírita em São Gonçalo. Ambos ladeados pelos confrades Simeão Borges, Getúlio Torres e Maurício Sodré.

Reportagem: Éder Freyre - Serviço de Orientação Doutrinária do 37º CEU/CEERJ para o Jornal Ponto de Expressão nº 01 - 2019.